Arquivo da categoria: Matéria 2

Água contaminada: um risco evidente

Caroline Gomes e Hiago Maia

SONY DSC

Foto: Sistema de filtragem de água instalado no ICSA. Por Caroline Gomes

Em meados do ano de 2012, o Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA), enfrentou um desagradável problema referente à qualidade da àgua que circulava pelos bebedouros e torneiras da instituição. O ICSA é um dos três campi que integram a Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), abriga os cursos de Jornalismo, Administração, Economia e Serviço Social, e situa-se na histórica cidade de Mariana.

Durante o primeiro semestre letivo do decorrente ano, alunos, professores e funcionários do ICSA foram surpreendidos com a interdição de bebedouros e torneiras. Mais tarde, resultados periciais detectaram a presença Escherichia coli em água coletada em uma das torneiras do banheiro feminino, como consta em relatório enviado pela Pró-reitoria de Planejamento e Desenvolvimento ao então Reitor da UFOP, Prof. Dr. João Luiz Martins.

A vice-diretora do instituto, Prof.ª Juçara Brittes, relata que, assim que o problema foi identificado, os usuários foram imediatamente informados e, em alguns casos, houve fornecimento de água mineral. “A água consumida no ICSA é a mesma que a população de Mariana consome. Não é recomendável para ingestão. Para isso existem bebedouros e filtros na instituição”, explica.

Juçara ressalta, ainda, que um sistema de filtragem de água está sendo instalado nas dependências do Instituto, que procederá a limpeza da água, para evitar reincidência do caso. A contaminação das águas é uma realidade que pode se fazer cada vez mais presente no cotidiano social, se não forem tomadas as precauções necessárias. As águas contaminadas podem trazer indesejáveis problemas à saúde daqueles que dela fazem uso.

Doenças causadas através de águas contaminadas

A falta de água potável, de um esgoto tratado e da manutenção dos recursos hídricos facilita a transmissão de doenças associadas a essa falha, que podem até levar o ser humano a óbito. Para evitar esse tipo de conturbação, é necessária a atenção das pessoas para com certos cuidados, como tratar à água eliminando micróbios e impurezas nocivas a saúde humana, filtrar e ferver a água sempre que conveniente e proteger açudes, poços e até as próprias caixas d’água, recursos utilizados para o abastecimento e armazenamento da água.

Qualquer pessoa está sujeita a entrar em contato com a bactéria ou o vírus causador das doenças, mas é imprescindível, um cuidado maior com a esfera infantil, uma vez que esses são mais vulneráveis a contrair as doenças. “Geralmente, a ingestão de água contaminada é responsável por grande parte dos óbitos de crianças menores de um ano de idade”, diz o médico sanitarista Núncio Antônio Araújo Sol.

A transmissão do agente infeccioso através da água pode ocorrer pela ingestão, pelo contato com a pele durante o banho, na preparação de alimentos, ou pelo consumo de alimentos lavados com água infectada. Geneticamente, as doenças mais comuns causadas pela ingestão da água contaminada são as chamadas gastrenterites, infecção do estômago e do intestino produzida principalmente por bactérias.

As doenças de veiculação hídrica são causadas principalmente por microrganismos patogênicos de origem entérica, animal ou humana, transmitidas basicamente pela rota fecal-oral. Entre os protozoários, temos a ameba (Entamoeba hystolitica) que causa a amebíase, e a giárdia (Giárdia lamblia) que provoca a giardíase. Em ambas, podem ocorrer dores abdominais, febre e diarréia. As salmonelas (Salmonella typhi e Salmonella paratyphi) são bactérias que produzem um quadro de gastrenterite muito grave, necessitando uma atenção maior quando contraída. E, por último, a Hepatite A, uma doença virótica endêmica, ou seja, comum em nosso meio. Também produz quadro de diarréia grave, dores abdominais, vômitos e febre baixa, com riscos de desidratação rápida e grave.

Segundo Núncio, as caixas d’água devem estar sempre bem fechadas e serem vistoriadas regularmente, acontecendo à limpeza e manutenção pelo menos a cada seis meses. E outro mecanismo que aparece como opção de precaução, é a instalação de um filtro antes da entrada da caixa d’água. Esses são apenas alguns dos recursos que podem ser utilizados para prevenir, e afastar das pessoas a preocupação de ser infectado por alguma doença gerada do contato com a água contaminada.

No dia 21 de novembro de 2011, programa Bem Estar, da Rede Globo, tratou sobre o tema da contaminação da água. Confira no vídeo a seguir:

Anúncios
Etiquetado , , , ,